Contratações equivocadas – um marco na gestão do Vitória

Contratações equivocadas – um marco na gestão do Vitória

, às 10h03 (atualizado em 30/10/16, às 10:04)
3016
4
Comunicar erro
COMPARTILHE
Foto: Gilberto Junior/Bocão News

É sabido que, no futebol, contratar jogador é um ato de risco. Mas, sabemos também que este risco pode ser majorado ou minorado, em razão da competência de quem contrata.

Neste aspecto, a gestão do Esporte Clube Vitória é campeã disparada pelo aspecto negativo. Não sei se o método de contratação (fala-se que por lá se contrata muito por DVD), ou a confiança em empresários com outros interesses que não fortalecer o clube com bons jogadores, ou a incapacidade de “olheiros” de descobrir novos e verdadeiros talentos. Enfim, não sei precisar o motivo, mas a verdade é que desde que o grupo comandado por Alexi Portela assumiu o clube – e isso vem desde 2006 – ocorre um verdadeiro desastre quando o assunto é contratação de novos reforços, ou melhor, novos jogadores pois não podemos chamá-los de reforços.

Pensando nisso, resolvi dar uma pesquisada nessas contratações durante uma parte da gestão de Alexi, de Falcão (seu sucessor indicado por ele) e de Raimundo Viana (indicação dele também). Sendo assim, comecei a pesquisar apenas de 2010 para cá, ou seja, nesses últimos 06 anos, apesar de ter muitos mais jogadores de péssimo nível, já que a gestão de Alexi e de seus apadrinhados começou em meados de 2006. Acreditem que, mesmo não lembrando de alguns, todos os jogadores listados foram contratados de 2010 para cá por essa gestão que afirma que prima pela “excelência no futebol”.

Por uma questão didática, para alguns jogadores pouco lembrados (seja pelo “excelente” nível técnico ou pelo curto tempo que por aqui ficou), resolvi colocar ao lado do seu nome a posição que jogou.

Nesse ano de 2016, fomos muito bem. Temos ou já tivemos no nosso elenco muitos craques, tais como Alipio, Ramalho, Guilherme Mattis, Dagoberto, Serginho, Amaral, Robert, Vander, Norberto, Cárdenas, Willian Henrique, Henrique, Leandro Domingues, Ednei, Maicon Silva, dentre outros.

Nos anos anteriores, tivemos também muitas pérolas: Marcelo Matos, Pereira (meia), Saimon (zagueiro), Danilo Tarracha, Jorge Wagner, Jonathan Ferrari, Caio (atacante), Rômulo (atacante), Vínicius (atacante), Rodrigo Defendi, Marco Junior, Lucas Zen, Douglas (goleiro), Hugo, Camacho, Lucas Nania, Richarlyson, Souza, Kleber Pereira, etc.

Reparem que alguns ainda chegaram aqui como craques, ou como grandes promessas. A lista continua: Pedro Oldoni, Josa (volante), Marcinho, Leandrão, Giancarlo, Fabricio (zagueiro), Fernando Bob, David Braz, Elizeu (volante), Cardoso, Luis Alberto, Marcos, Renato Santos, Lúcio Maranhão, Alemão, Rodrigo Mancha, Daniel Borges (lateral), Marcelo Nicácio, Willian Gerlem (meia), Eduardo Ramos, Caio Secco (goleiro), Gabriel Araújo (lateral), Mauricio (zagueiro), Zé Luis, Preto, Edu (meia), Nikão, Léo Fortunato, Eduardo Neto (lat. esquerdo), Thiago Martinelli, Evandro, Renato Ribeiro, Derlei, Jonas, Javier Reina.

Vou deixar de fora alguns jogadores, conhecidos no jargão popular como meeiros, tais como Diego Renan, Diogo Mateus, Tiago Real, Fernando Miguel, Kieza, Juan, Ayrton, Neto Baiano, Rildo, etc. São muitos, mas vou me deter a listar apenas os medíocres, que nada acrescentaram ao clube.

Nesse sentido, a lista, apenas exemplificativa, ainda tem Renan (goleiro), Robston, Wellington Saci, Marcos Bamban, Rodrigo Costa (zagueiro), Pedrão (atacante), Ernani, Vitor Sabá, Vander, Dão (zagueiro), Luis Aguiar, Guilhermo Beltran, Adriano (volante), Léo Costa, Jean (zagueiro), Charles Vagner, Fernandinho, Chiquinho (lat. esquerdo), Xuxa, Geraldo, Geovanni, Gilberto, Lucio Flavio, Renan Silva, Fabio Santos, Pablo (atacante), Richelly, César Santiago, Evson, Pelezinho, Jonas, Thiago Humberto, Soares, Henrique (atacante), Jacson.

Nesse período, ainda tivemos que conviver com grandes promessas oriundas da base, promovidas ao elenco profissional pelos “expert” do futebol do Vitória, por exemplo, Flavio, Jose Welison, Euller, Edson Magal, Leilson, Willie, Romário, Dankler, Matheus Salustiano, Duylio, Neto Coruja, Reniê, Arthur Maia, Ueliton, Dimas, Felipe, Mansur, Mineiro, Marconi, dentre tantos
outros “aprovados” pela direção, mas reprovados pela torcida.

Reparem que falando apenas de contratações, fora os oriundos da base, fora também os “meeiros”, são 103 jogadores medíocres que, repito, nada acrescentaram ao Vitória. Ou melhor, acrescentaram e muito a folha de pagamento, pois temos uma média de 17 péssimas contratações por ano. Esta aí, talvez, a verdadeira causa de não se ter dinheiro para contratar bons
jogadores. Quanto não custou salários e rescisões destes bondes? E aqueles que não rescindiram amigavelmente? E as multas pagas? E os gols perdidos ou tomados por erros destes craques?

A direção, por sua vez, sempre alegou que o clube é do nordeste, tem renda pequena de TV, não tem patrocinador como os do Sul/Sudeste, dentre outras desculpas, na tentativa de tirar o foco do real motivo de não se ter dinheiro: a falta de competência na contratação de jogadores pela falta de conhecimento de futebol de quem dirige uma empresa do porte do Esporte Clube Vitória, que é uma empresa sim, mas acima de tudo um clube de futebol.

Saudações rubro negras,

Rogério Pessoa

COMPARTILHE
Apenas uma equipe de estudantes e profissionais de diversas áreas, sobretudo, torcedores rubro-negros, igualmente a quaisquer outros, apaixonados fervorosamente pelo Esporte Clube Vitória.
  • Lucas Rêgo

    Fora alguns dos trazidos que foram mal aqui mas mostraram bom futebol em outro lugar depois. Coisa do futebol e de fatores abstratos.

    Certamente a base precisa de espaço e psicologia sem pressão e a unica maneira de não ter pressão é ter um time equilibrado com 4 craques (200 a 300mil cada), 3 bons jogadores (75 a 130mil), 2 apostas(50mil)) e 2 bases(5mil). Uma folha de R$1.7mi com tudo no máximo do testo. Lamentavelmente não podemos ter 15 craques.

    Para o elenco totalizaria 4 craques, 6 bons jogadores, 4 apostas e toda a base a disposição. Folha total de R$2.320. 14 estrangeiros + 8 base chegando ao enxuto grupo de 22 atletas.

    Uma POLITICA onde se contrata no máximo um jogador com mais de 31, é preciso vitalidade para marcação.

    Uma FILOSOFIA de jogo a ser trabalhada dês da base.

  • José neto

    Falou o que muitos torcedores estão cansados de saber…Será que existe alguma comissão recebida por fora? Pelo menos entendo que existe empresários de jogadores que receitam algum “Remédio vencidos” para o doente time do EC Vitória.A base de um grande time começa na gestão profissional e não com amadorismo de sempre.

  • José neto

    Torço para que Sinval Vieira se candidatasse á presidência do clube e tenham certeza que sua gestão será uma das melhores que o EC Vitória ja teve.Com todo o respeito aos demais dirigentes, mas basta de tanta enganação.um dos melhores zagueiros da Campeonato Baiano nem sequer foi sondado.Triste realidade desta incompetente diretoria,

  • José neto

    Só para complementar, não conseguiu cobrir o salário de Ryaner, e nem Escudeiro e ainda traz cinco bondes que nem no campo do Tejo entra de primeira.