Início Artigos Fala, rubro-negro Como o Vitória estragou a melhor surpresa de aniversário da minha vida

Como o Vitória estragou a melhor surpresa de aniversário da minha vida

722
Léo Ceará
Foto: Reprodução / YouTube

Por Bruno Bittencourt

Definitivamente o Vitória existe para testar nossos limites emocionais. Se por um lado há revolta e impaciência com o que se vê dentro de campo neste ano de 2020 e também nos últimos que o antecederam, por outro há indignação e tristeza pelo que se ouve dos bastidores onde decisões importantes para o presente e futuro do clube são tomadas.

Em meio a este quiproquó, como se não houvesse desordem suficiente para a conturbada cabeça do torcedor rubro-negro, o clube decidiu em agosto – o melhor mês do ano – apresentar, DO NADA, um novo uniforme, o de número 3 do enxoval de 2019.

Vocês lembram dessa resenha e da cara de poucos amigos do atacante Leo Ceará, que saiu da geladeira (leia-se treinando em separado) para ser modelo do lançamento improvisado. Mal sabíamos que aquela expressão negativa do atleta se tornaria, além de meme, uma constante entre os torcedores que adquiriram aquele uniforme em pré-venda.

Pois bem, agosto é o melhor mês do ano pois nele comemoro aniversário. E nenhum outro presente seria melhor recebido que aquela maravilha de uniforme. Mas nem todo apaixonado é besta e eu, claro, resolvi adiar meu ‘autopresenteamento’ até que o uniforme estivesse à venda na loja.

Três meses se passaram desde que adentrei uma nova jornada e abraçado na minha decisão assertiva acompanhei a angústia de quem se arriscou naquela pré-venda. Essa é uma novela que você já conhece e eu não preciso adentrar. Mas daí veio a surpresa.

Somente na semana passada fui maravilhado com a revelação de um segredo, só que em tom de desabafo. Eu que nunca tive festa surpresa, soube que a menina que eu gosto resolveu me presentear com o manto sagrado nº 3 do Vitória!!!

Mas a demora na entrega e a aflição diante do vai e vem de informações a fizeram perder a esperança/paciência e revelar o que até então era uma surpresa.

E foi assim que o EC Vitória e sua desorganização constante estragou o que seria a melhor surpresa de aniversário que eu já tive na vida.

A compra feita em agosto não tinha qualquer sinal de quando seria entregue no dia em que me foi revelada. Mas finalmente foi recebida, em novembro, sem a mesma graça, manchada pelo desgaste e decepção, mas ainda cheia de alegria e amor, pela representação do presente e pelo escudo nela estampada.

Por fim, ficam apenas duas certezas: a menina que eu gosto também gosta de mim. E torcer pro Vitória é ato de coragem e resistência.

Bruno Bittencourt é torcedor do Esporte Clube Vitória.


Deixe sua opinião