Início Matérias Gabriel Inocêncio e Sérgio Mota. Não atuaram, se lesionaram e estão afastados.

Gabriel Inocêncio e Sérgio Mota. Não atuaram, se lesionaram e estão afastados.

Atletas são retrato do péssimo desempenho da diretoria em trazer jogadores que contribuam com o Vitória.

228
Sérgio Mota treino
Foto: Pietro Carpi/Vitória

É inacreditável a incompetência da diretoria do Vitória. Entre o mar de contratações malfeitas realizadas pela diretoria do clube, duas chamam mais a atenção: o lateral-direito Gabriel Inocêncio e o meia Sérgio Mota. Em ambos os casos, os jogadores chegaram, se lesionaram, mal atuaram e estão afastados para a reta final da Série B.

Não dá para entender e ninguém explica direito. Gabriel Inocêncio chegou desde 15 de junho e esteve em campo apenas em dois jogos por 77 minutos. E no mais, só treinando. O jogador foi citado pelo ex-presidente do clube, Paulo Carneiro, como um dos destaques do Campeonato Paulista. Mas, assim que chegou, precisou passar por uma artroscopia no joelho.

Já com Sérgio Mota, foi pior. O atleta não entrou em campo sequer em um jogo com a camisa do Leão. E olhe que a posição que ocupa é uma das mais carentes do elenco. Marcinho, que chegou junto com ele em agosto, já fez 14 jogos.

Sérgio, de 31 anos, estava sem atuar desde outubro de 2020 e, antes de ser oficialmente apresentado, já treinava na Toca há algumas semanas para aprimorar a forma física. Participou de coletiva em 16 de agosto, disse que estava pronto para jogar, mas nada aconteceu.

No final de agosto, o atleta deixou de ser relacionado por estar com um edema no reto femural, segundo informações do clube. Depois, sumiu e agora também está afastado do time que vai disputar os últimos jogos de Série B.

Em resumo, torcedor, é de se revoltar mesmo! Trazer jogadores que não atuam significa que a contração foi péssima para o Vitória, que tem de pagar salários de um jogador que não vai trazer retornos para o clube, só prejuízos. É um retrato da má-administração que o Leão passa nos últimos anos. Lamentável!


Deixe sua opinião